Cinema, Crítica de Filme

| Um Broto Legal | Crítica

Em um formato que lembra uma novela, Um Broto Legal mostra com competência o crescimento de Celly Campelo em sua ascensão para a música. Confira a crítica completa.

O rock and roll estava em ascensão nos anos 50-60, por influência de Elvis Presley e sua presença no rádio. Agora, imagina uma mulher no Brasil buscando seu espaço na música, e percebendo neste ritmo a oportunidade de crescimento dentro da música. Esse e mais fatores mostram o quanto Celly Campelo é importante, não só para  música, mas para o rock no Brasil.

O filme dirigido por Luiz Alberto Pereira (“Tapete Vermelho”, “Hans Staden”) tem um caminho claro, mas busca em suas narrativas entender o crescimento a partir de seu irmão Tony Campelo. E esse é o protagonismo proposto aqui, de explorar Tony primeiro e depois Celly.

A jornada é simples e lembra uma jornada de descoberta do protagonista, mas aqui temos uma jornada de família, e como o irmão busca seu espaço e depois traz sua irmã para o estrelato. Isso pode até mesmo confundir o espectador inicialmente pela forma com que o diretor e roteiro conduz a história, fazendo sentido apenas nos atos finais. 

Há uma forma didática de trazer a história, o que é ótimo para quem não conhece ambos, a preocupação de dar detalhes para ambos é interessante. Afinal estamos vendo um filme de família, acima de tudo.

Estes dados acabam sendo predominantes para a época, afinal temos a diferença entre uma mulher e um homem na música comercial. O longa busca amplia e deixar claros alguns elementos, principalmente nos relacionamento entre Celly e Tony.

Como vemos essa história de uma forma que assistimos uma telenovela da época, é interessante, afinal damos importância aos figurinos e condução da história. Um Broto Legal sabe entender a busca de uma voz feminina. 

A importância do filme não muda mesmo entendo a importância de um elemento humano masculino. Ele dá a mesma importância aos dois, entendendo que um cantor masculino tem sua importância.

O crescente do filme preserva isso, deixando o núcleo familiar entender o que ocorre em sua volta. Essa forma de abordar a narrativa se mostra importante apenas no seu final. 

Inclusive é um grande acerto do filme não se basear nas grandes músicas de Cely e Tony, elas são usadas em momentos para justamente surpreender o espectador e marcar alguns pontos.

A forma com que vemos história tem um ‘ar’ noveslesco, com a fotografia que mantém a mesma atmosfera, nada que interfira a narrativa ou chegue a incomodar, porém, há um cuidado em trazer uma narrativa linear de tudo.


Um Broto Legal é diferente das cinebiografias atuais, porém tem um cuidado de ser ‘pé no chão’ e preservar a história de Celly e principalmente, mostrar sua história para quem não a conhece.

Nota: 3/5

Contato: naoparecemaseserio@gmail.com

Me acompanhe nas redes sociais Youtube / Facebook / Instagram / Twitter

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s